sexta-feira, 12 de abril de 2013

"Bel-Ami" (Guy de Maupassant) (Desafio Clássicos 2013 - Março): OPINIÃO!

Com "Bel-Ami" de Guy de Maupassant fiz uma nova incursão por um clássico da literatura, sabendo intuitivamente que iria embarcar numa leitura pouco fácil, repleta de personagens distintas, onde a narrativa seria pautada pela crítica social e, finda a leitura, constatei que a minha intuição não falhou.

Este clássico leva-nos a viajar pela sociedade parisiense, em plena expansão capitalista e é neste cenário que ficamos a conhecer Georges Duroy, de alcunha Bel-Ami, um jovem charmoso que num encontro inesperado com um amigo consegue um emprego no jornal La Vie Française e encontra aí a sua oportunidade para ascender socialmente.

"Bel-Ami" despertou a minha atenção inicialmente pela personagem de Georges Duroy porque o autor Guy de Maupassant investe nesta personagem oferecendo-lhe um crescimento ao longo do livro.

De início, vemos apenas um jovem sem rumo, mas assim que consegue uma oportunidade no jornal, começamos a ver despontar um homem ambicioso, sorrateiro, manipulador e dissimulado. Bel-Ami consegue despertar reacções no leitor e é quase inevitável que com o avançar da leitura, o leitor não se sinta irritado com esta personagem.

Bel-Ami não olha a meios para atingir os fins e faz uso desmesurado da sua juventude, beleza e charme junto das mulheres, coleccionando amantes que na sociedade parisiense manobram na sombra, nomeadamente, na área do jornalismo.

A juntar a esta personagem que tem o dom de mexer com o leitor, encontramos um conjunto de mulheres que se deixam seduzir facilmente, desrespeitando o compromisso do matrimónio e pondo a nu as suas fraquezas e personalidades.

"Bel-Ami" de Guy de Maupassant remete-nos para uma narrativa densa, onde a acção gira em torno de um núcleo de personagens, que pelos seus comportamentos e forma de se relacionarem retratam claramente uma sociedade e época específica.

A escrita de Guy de Maupassant sobressai essencialmente pela caracterização das personagens. Não se trata de um romance ligeiro e fluído. Não obstante, a arte de dissimulação e de manipulação de Bel-Ami confere uma riqueza particular ao livro, ao mesmo tempo que o papel das mulheres na sociedade parisiense ganha destaque.

Em suma, "Bel-Ami" afigura-se-nos como um livro com uma temática social forte, onde as personagens e as suas personagens são as estrelas principais da narrativa.

CLASSIFICAÇÃO: 4. Bom!


1 comentário:

Catarina R. disse...

Confesso que este clássico nunca me chamou a atenção mas depois da tua review já o adicionei à pilha dos que quero ler:P
Deixei-te um desafio em forma de selo:http://asonhardeolhosabertos.blogspot.pt/2013/04/desafio-bloguivismo-selo.html
Beijos