sexta-feira, 7 de setembro de 2012

"Nunca digas adeus" (Lesley Pearse): OPINIÃO!

Lesley Pearse é uma autora de renome muito apreciada pelos leitores. Contudo e, apesar de já ter vários livros editados em Portugal sobre a chancela da ASA, "Nunca digas adeus" foi a minha estreia com esta autora.

O que me incitou a estrear-me nesta autora foi essencialmente a sinopse por nos dar logo a conhecer um crime aparentemente inexplicável e o reencontro de duas amigas de infância.

Lesley Pearse dá-nos imediatamente um início de leitura emocionante pois logo no primeiro capítulo Susan Wright entra numa clínica médica e inesperadamente faz dois mortos: uma recepcionista e um médico, não oferecendo qualquer resistência quando a polícia a detém.

A partir daí embrenhamo-nos numa leitura intensa com Susan a manter o silêncio sobre o seu acto e com Beth a ser destacada para este caso sem fazer ideia de que a autora deste duplo homicídio é a sua amiga de infância Susan.

Mais do que este crime em si, Lesley Pearse traz-nos o passado de Susan e vai-nos revelando a pouco e pouco todo o sofrimento que Susan experienciou. Ao mesmo tempo, Beth debate-se não só com o silêncio de Susan enquanto sua cliente, mas também com as memórias de amizade de infância.

Com a ajuda do Inspector Roy Longhurst, Beth vai desvendando o passado de Susan e vai-se apercebendo de que a imagem de felicidade que atribuía a Susan e à sua família era uma imagem falsa.

Beth, também ela, e graças a à relação que vai estabelecendo com Roy, se vai debatendo com o seu próprio passado marcante.

A autora Lesley Pearse, de forma cativante e inteligente, vai-nos mostrando que embora estas amigas invejassem a vida familiar uma da outra, afinal não tinham razão para o fazer pois nem tudo o que parece é.

A autora Lesley Pearse presenteia-nos com personagens repletas de profundidade que exigem ao leitor uma análise cuidada das suas personalidades para conseguir entendê-las na sua complexidade.

Em "Nunca digas adeus" destaca-se o peso do passado e como este pode influenciar os comportamentos do presente.

As duas personagens femininas - Susan e Beth - são duas mulheres com passados pautados pelo sofrimento que travam as suas lutas interiores e que se tentam resguardar da melhor forma possível usando os mecanismos de defesa que conhecem.

Através de Susan, Lesley Pearse dá-nos a conhecer uma mulher profundamente sofrida mas altamente inteligente que cativa a atenção do leitor e o faz questionar-se diversas vezes sobre se o que o diz é verdade ou não. Esta personagem muitas vezes me fez questionar se seria verdadeira ou manipuladora e, como tal, à que aplaudir a autora por nos brindar com uma personagem que suscita não só dúvidas mas também curiosidade.

"Nunca digas adeus" é uma leitura que alia de maneira empolgante crime, romance e segredos do passado.

A narrativa fluída e coerente faz com que o leitor embarque nesta leitura de maneira intensa, não deixando de se questionar sobre que surpresas mais lhe trará a autora Lesley Pearse até ao desfecho final onde todo o puzzle para encaixar-se forma natural e espontânea.

CLASSIFICAÇÃO: 5. Muito Bom!



7 comentários:

Inês Afonso disse...

Posso mesmo dizer que estou "viciada" e "fascinada" pelos livros desta autora. Na segunda quinzena de agosto comecei por ler "Nunca me esqueças"; devorei de seguida "Procuro-te" e já tenho em mãos "Nunca digas adeus" para começar ainda hoje.
Simplesmente maravilhosos todos eles!!!

Diana Barbosa disse...

Inês cá em casa da autora tenho por ler "Segue o coração" :)

Inês Afonso disse...

Será o seguinte ;)

Diana Barbosa disse...

Boas leituras Inês Afonso :)

sCf disse...

oi diana,
eu ja sou fa de lesley pearse ha algum tempo e apesar do tamanho de alguns livros e dos detalhes de que alguns se queixam, eu acho-a fenomenal e ate agora ainda nao li nenhum livro dela que nao tenha gostado.
ela é uma secritora diferente, especial, dramatica tambem, mas é acima de tudo uma escritora real, os finais dos livros (dos que li ate agora) nao sao o tipico "felizes para sempre" nem completas desgraças mas sim finais mais normais, mais reais, assim como as personagens e as historias.
outra das razoes que me leva a mar tanto esta escritora é o facto de ele valorizar tanto ( e nao sobrevalorizar) a figura feminina e a sua força para suportar tudo e enfrentar tudo por si e pelos que ama de modo a atingir o seu "final feliz" que nao chega a ser o final, e isso notaa-se nos seus livros, na ultima pagina apercebemo-nos que é o final do livro mas nao o final da historia.
gostei muito desse livro mas o meu preferido ate agora é "Procuro-te"
e gostei muito tambem de "Never look back"
beijos e boas leituras

Diana Barbosa disse...

sCf da autora tenho por ler "Segue o Coração" :)

Carolina Poças :) disse...

"Segue o teu Coração" é um livro excelente! Aconselho vivamente a ler. Foi o primeiro livro que li da Lesley e tornei-me logo fã dela! :)